sábado, 31 de dezembro de 2016

Resenha: BLACKFORCE-Slaves To Reality

 A banda BlackForce foi fundada em Niterói em 2014 por 5 amigos,mesmo sendo uma banda nova eles acertaram a mão nesse primeiro EP,são 5 faixas sensacionais,nenhuma deixou a desejar. O disco foi gravado no próprio Homestudio do grupo, que também se responsabilizou pela mixagem e masterização.  Os riffs são excelentes como por exemplo na segunda faixa "Downfall" e também o solo que é técnico e seguro, o guitarrista não joga notas fora assim como na faixa "Madness" que por sinal foi a que mais gostei do material. A linha de bateria também é sensacional ! brutal,técnica e pesada e a dominava as faixas, já o baixo fica na media,linhas normais e preenchendo os furos da bateria, o vocal é as vezes soa agressivo as vezes urrado e as vezes bem brutal .

O que vejo aqui é mais uma banda que em um futuro próximo se tornará destaque no brasil com certeza . acredite apostaria minhas fichas nessa banda pelo menos nesse trabalho, se o próximo trabalho for parecido com esse magnifico EP já vale a compra !!

E é mais uma banda de Thrash metal brasileira que é pra ficar de olho !

A primeira faixa é "Calm before the Storm" uma faixa totalmente limpa com efeitos de raios,e é uma bela introdução, em seguida temos "Downfall" faixa fantástica !! o riff não é cansativo,na verdade é genial !! linha de bateria marcante e fundamentalmente trabalhando com o baixo de forma elegante.
Logo depois de "Downfall" temos "Madness" o que dizer dessa faixa ? sensacional !, a faixa introduz,O riff que a proposito é bom e uma bateria sensacional que fala muito apena ouvi-la , e a faixa não perde qualidade, essa faixa mostra também o uso de um vocal urrado magnifico e solos com um técnica e velocidade que padrão para qualquer banda que se prese em tocar uma Thrash !
A quarta faixa do EP é "War Has Begun" A faixa introduz uns sinos em seguida temos o riff,bateria mais uma fez mandando ver, e um solo técnico, e a cima de tudo é brutal !
E já chegamos a ultima faixa do EP que é "eEnslaved" já de imediato senti uma influencia em Megadeth,faixa rápida,mas uma vez a bateria não decepciona, e alias mais um solo que se é utilizado bastante técnica e que fecha muito bem esse material da banda blackforce .
Destaques:álbum inteiro !


LINE UP:
Felipe Teixeira - Vocal
Matheus "Pisca" - Guitarra
Caio Kattenbach - Guitarra
Glauber Pontes - Baixo
Alexandre "Bruxa" - Bateria

Faixas:
01 - Calm Before The Storm (intro)
02 - Downfall
03 - Madness
04 - War Has Begun
05 - Enslaved

Nota:9,5


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Bardos, Canto Cego, Sixty Miles Ahead: Bandas serão destaque no programa '' O Melhor do Rock ''


As Bandas serão destaque na edição deste sábado 31/Dezembro de 2016 no programa de Rádio ‘’ O Melhor do Rock ‘’, da Rádio Nossa Voz FM de Duas Estradas-PB.

O programa começa as 19h00min horas deste sábado, e você pode nos acompanhar em diversos meios, através da Rádio Nossa Voz FM de Duas Estradas-PB onde os ouvintes residentes na cidade acompanham no Rádio na frequência 104.9 FM.

Para aqueles que estão em outras cidades pelo Brasil e Mundo é só acompanhar na internet nos blogs: nossavozfm.blogspot.com, blog extreme aggression, Folha de Duas Estradas, no site Guarabira News, blog O Nordestino, Blog Você DX, Blog Reck Berita, além de nos acompanhar no Rádios Net, Tunein: Rádio Nossa Voz FM. 

O ouvinte ainda pode nos acompanhar no site da Rádio Alternativa The Rockers. A Parti das 20h00min Horas entraremos em conexão com a Rádio Nova Bayeux Web, tanto no Tunein, Rádios, e também no site: novabayeuxweb.com. 

A apresentação do programa fica por conta de: João Paulo Ferreira.


Bardos



Na Europa antiga, o bardo era uma pessoa encarregada de transmitir histórias, mitos, lendas e poemas de forma oral, cantando as histórias do seu povo em poemas recitados. Era simultaneamente músico e poeta e, mais tarde, seria designado de trovador. De forma semelhante, Bardos foi formada para transmitir o bom e velho rock n’ roll através de letras/poesias que cativem transmitam uma boa mensagem. Acreditamos que o rock possa ser muito mais, por isso somamos todas nossas influências para formar um som que une o clássico ao frescor de nossa efervescência criativa. O resultado é um rock bem trabalhado e autoral. Acreditamos na velha fórmula da influência + estilo próprio. Esta fórmula nos trouxe os grandes nomes do rock e é através dela que trabalharemos para darmos o nosso melhor. Bardo’s Rock é: 

Jean Bertollo – Baixo/vocal 
Gustavo Moura – guitarra/ vocal 
Fernando Santos - Bateria
Fábio Lima Deicke – Baixo

                                                             Canto Cego



Uma explosão em corpo e ideias, público e palco. Canto Cego começou em 2010 seu percurso pelo Rio de Janeiro, passando por espaços intensos como o Circo Voador, Imperator, Arena Dicró, Studio RJ e Sérgio Porto. Na certeza de fortalecer essas redes de afetos em cada composição, a banda gradualmente expande sua rotina urbana levando para seus shows uma poesia e um rock um tanto quanto aflitos.

Gênero
Plural (misto)

                                                      Sixty Miles Ahead



Sandro Casali (vocalista), Fulvio Carlini (guitarra), Francesco Li Donni (baixo), Luca Caserini (bateria).

Sessenta milhas à frente são uma banda de hard rock proveniente dos subúrbios de Milão, Itália. Formado em 2010, o quarteto provou ser um dos equipamentos mais interessantes do seu país, graças ao seu som impactante e cativante e à sua capacidade de hibridizar canhões de hard rock com soluções frescas provenientes do heavy metal melódico e um toque de rock contemporâneo. Até agora, sessenta milhas à frente lançaram duas gravações em estúdio, coletando críticas altamente favoráveis de todo o mundo. A intensa atividade ao vivo da banda os viu atuar ao lado do creme do hard rock italiano, além de gigantes internacionais como Richie Kotzen e Tygers de Pan Tang.

Depois de um verão de composição e experimentação, a banda lançou seu EP de estréia em 2011, "Blank Slate", que exemplificava como a música hard'n'heavy do século 21 deveria ser feita. Ao longo do ano, eles realizaram muitos shows, e construir um leal seguindo localmente e internacionalmente. A faixa de abertura "Polite Conversations" (também o primeiro videoclipe da banda) despertou o interesse do canal de música Rock TV, que os convidou para fazer um show de televisão em directo na Itália.

Em 2012, a banda lançou seu primeiro álbum de longa-metragem "Millions of Burning Flames" através da gravadora alemã, Antstreet Records. Este álbum de doze músicas marcou mais um passo em frente em termos de composição e ousadia. O álbum recebeu muita aclamação da crítica de ambos os fãs de hard rock da velha escola e cabeças de metal modernas com uma mente aberta. Poderosas melodias vocais cativantes entregues pelo vocalista Sandro Casali, são combinadas com riffs de primeira classe e solos requintados pelo machado Fulvio Carlini, ambos sustentados pelo valioso trabalho rítmico de Luca Caserini. Mesmo os mais descuidados ouvir os quatro singles selecionados a partir do registro atesta a extensão do espectro musical da banda.

Em algum momento em 2015 a banda se separou com Antstreet Records, eo ex-baixista Davide Bosio abriu caminho para o fã de longa data e amigo Francesco Li Donni. A banda começou a gravar novo material, e começou a procurar um novo selo para chamar de lar. Pouco depois de o álbum ter terminado, Sixty Miles Ahead foi assinado com Eclipse Records (Mushroomhead, Bobaflex, A Breach of Silence).

Neste ponto, as quatro peças parecem imparáveis ea banda está pronta para conhecer e agitar a cena global do rock com seu novo álbum completo intitulado "Insanity". Sessenta milhas à frente são ajustados para mostrar ao mundo (uma vez outra vez), que significam o negócio ... Levante-se e prepare-se para balançar, porque suas orelhas estão dentro para um deleite!







J. Paulo Ferreira




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

DYMON’S: debut álbum será lançado pela MS Metal Records no Brasil


A banda mineira de Thrash Metal DYMON’S terá o seu primeiro álbum, “Destruidor Cannibal”, lançado no Brasil no primeiro semestre de 2017, através da MS Metal Records.

O material será distribuído no seu formato físico pela Voice Music, para as principais lojas especializadas e MegaStores do país.

Para mais informações sobre as atividades da banda DYMON’S e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:
http://www.msmetalagencybrasil.com/ptbr/artista-dymons

KATHARZIAN: disponibilizada arte da capa do seu debut álbum


A banda paulista de Black Metal Sinfônico KATHARZIAN, disponibilizou recentemente a arte da capa do seu vindouro debut álbum, que será lançado no primeiro semestre de 2017 através da Eternal Hatred Records.

O material gráfico foi concebido pelo designer Alcides Burn, que já desenvolveu trabalhos similares para bandas como: Malefactor, Sanctifier, Divine Pain, entre outras.

Para mais informações sobre as atividades da banda KATHARZIAN e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:
http://www.msmetalagencybrasil.com/ptbr/artista-katharzian 

DRACE XII: lançada versão digital do seu debut álbum


A banda DRACE XII disponibilizou recentemente, no seu canal oficial no YouTube, um vídeo contendo todas as faixas, do seu debut álbum “Supreme Legacy”.

O referido trabalho, que possui doze canções inéditas, teve sua versão digital lançada neste mês de dezembro, e a sua versão física está programada para o primeiro semestre de 2017 através da MS Metal Records.

CD Baby: https://bit.ly/dracexii-cdbaby
Spotify: https://bit.ly/dracexii-spotify
Apple Music: https://itun.es/br/uiNLgb
Google Play: bit.ly/dracexii-googleplay
Deezer: http://www.deezer.com/artist/11525875
Tidal: https://listen.tidal.com/album/68052435

Para mais informações sobre as atividades da banda DRACE XII e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:
http://www.msmetalagencybrasil.com/ptbr/artista-drace-xii

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Gueppardo lança videoclipe de “Fúria e Paixão”


A banda Gueppardo acaba de disponibilizar em seu canal no youtube, o videoclipe oficial da música “Fúria e Paixão”. Dirigido por Marcos Neuberger, o vídeo conta com uma nova versão da canção, com os vocais de Mauricio Osório, atual vocalista. Esta versão estará no novo álbum do grupo, com previsão de lançamento para março de 2017.

O guitarrista Perÿ Rodriguez fala sobre o lançamento: “Esse é nosso primeiro videoclipe e eu acho muito importante lançá-lo para mostrar a cara da banda. Resolvemos fazer uma releitura da música Fúria e Paixão, com os vocais do Mauricio, para mostrar bem como a banda soa atualmente. Eu gostei muito do resultado, porque capturou exatamente o que é a essência do Heavy Metal, um resgate daquela coisa mais teatral. Essa é a nossa proposta, proporcionar um bom espetáculo ao público. Também é importante para mostrar o nosso amadurecimento musical e visual, que está mais Hard n’ Heavy. E apesar do pouco tempo do lançamento, nós estamos muito felizes com a receptividade do público que tem respondido de forma muito positiva.”

Formada em 2007 na cidade de Porto Alegre, atualmente a banda é composta pelo guitarrista e membro fundador, Perÿ Rodriguez, o vocalista Mauricio Osório; o baterista Felipe Chagas e o baixista Rafael Yadek. O grupo se encontra em estúdio trabalhando no sucessor do álbum “Fronteira Final- 2015”, que vai contar com releituras das músicas produzidas para o EP “Instinto Animal - 2009”, novas canções e bônus especiais.

Confira o videoclipe:



Foto: Amigo Lagarto

Atenciosamente,
Mateus Rister
Jornalista e Assessor de Comunicação
Insanity Records

Apple Sin: confira a capa e a track-list do novo álbum


A banda Apple Sin foi fundada em 2012 e de lá pra cá vem colhendo frutos do seu trabalho, com um EP lançado “Fire Star” e dois clipes, a banda ganhou prestigio e reconhecimento por grande parte do público nacional se tornando uma das forças do Heavy Metal tradicional em Minas Gerais.

Após grandes conquistas e destaque nas principais mídias do país, a banda anuncia o lançamento oficial de seu debut álbum “Apple Sin”, com previsão de chegada para janeiro, os músicos divulgaram que o material será lançado primeiro em formato físico e depois disponibilizado nas plataformas de áudio.

A capa do álbum “Apple Sin” foi assinada por Philipe Belchior, o artista busca sintetizar o surgimento de uma espécie de pecado sendo representados pela maça e o feto que abrilhantam a arte. A produção e direcionamento musical ficaram a cargo do baterista da banda Eduardo Rodrigues e todo o restante do grupo.

A banda pretende em 2017 fazer um trabalho forte na divulgação do novo álbum e já vem preparando uma tour ao lado de grandes nomes e em grandes eventos por todo o país.
https://www.youtube.com/watch?v=cj01gkKCuyo

Formação:

Patric Belchior (Vocal)
Beto Carlos (Guitarra)
Tainan Vilela (Guitarra)
Raul Lourenço (Baixo)
Eduardo Rodrigues (Bateria)

Mais informações:
Facebook: https://www.facebook.com/bandaapplesin/?fref=ts
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC4j8fCfZTKIkHBmUU2HY33Q 


Fonte; Roadie Metal

ENTREVISTA COM A BANDA THE CROSS – O MELHOR DO ROCK, CONFIRA;


Em 1990 o fundador e futuro vocalista do The Cross, Eduardo “Slayer” Mota, começa pôr em prática a ideia de montar uma banda inspirada por Black Sabbath, Trouble e Candlemass com letras focadas na dor de existir humana. Em 1992, com a formação já estabilizada, o The Cross começa a fazer apresentações Brasil afora. A demo tape The Fall, hoje considerada um clássico do Doom Metal nacional, foi lançada no ano seguinte. A repercussão positiva da demo levou-a ser distribuída tanto na Europa, pela AdiPocere e pela Holy Records, como na América do Norte pela Moribund Records. A banda, no entanto, sempre teve dificuldade de manter uma formação estável, um dos motivos pelo qual o The Crosss decidiu encerrar as suas atividades em janeiro de 1998, na véspera de gravar o seu disco de estreia The Plague of the Lost River. Depois de um hiato de quase 20 anos a banda retorna com um novo EP, Flames Through Priests, editado pelo selo Eternal Hatred Records. O EP traz duas músicas inéditas – “Cursed Priest” e “Sweet Tragedy” – e mais as três faixas de The Fall como bônus. A banda está em vias de gravar o seu primeiro disco homônimo, com convites para tocar em festivais dentro e fora do Brasil, a exemplo do Palco do Rock de Salvador em Fevereiro do próximo ano e o Malta Doom Festival, na Ilha de Malta, no outono de 2016.

1 – Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada? 

R1 – A banda surgiu de uma vontade de tocar doom metal. Foi em 1990. Em Abril de 1992 a formação da banda se estabilizou. A banda encerrou as atividades em Janeiro de 1998 e em Dezembro de 2014 voltou à ativa.

2 – Todos os integrantes são os mesmos desde o início do grupo? 

R2 – Não. Eu, Eduardo Slayer, sou o único integrante original.

3 – De onde vieram?

R3 – Os músicos? Eu vim de uma banda de thrash metal chamada Sepulchral. Zé Felipe tocou em varias bandas de metal extremo na década de 1990 (Carnified, Veuliah, Malefactor). Paulo Monteiro é da Acanon, death metal melódico. Mario Baqueiro, nosso baixista, tocou na VHV (Virtual Human Virus), banda de grindcore industrial. Louis é o baterista e membro fundador da DrearyLands. Ele já foi o baterista de outras bandas de metal baianas de destaque tipo Mystifier, Carnified, Yun-Fat, etc. 

4 – Contem algum vexame que vocês já passaram em algum show? 

R4 – Nunca passamos vexame.

5 – O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?

R5 – As várias mudanças de formação no passar dos anos e a perda do nosso guitarrista base Elly Brandão. Ele compôs a maioria das músicas do nosso primeiro álbum.

6 – Qual é a música do The Cross que a banda mais gosta? 

R6 – Cada integrante tem a sua preferida.

7 – Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante? 

R7 – Nos anos 1990 os shows mais marcantes foram o I Retch Festival (1993) de Itabuna (BA), o de Criciúma (SC) em 1994 e o de Teresina (PI) em 1995. Depois que a banda voltou foi show do Palco do Rock de 2016 em Salvador. Show absolutamente lotado, caravana de várias cidades do interior da Bahia pra ver o The Cross. Gravamos esse show, inclusive. Está disponível no YouTube, no nosso canal (The Cross Doom Metal).

8 – Quais as influências da banda? 

R8 – O trio Candlemass, Trouble e Black Sabbath é a base de tudo. A partir daí são as influências pessoais de cada músico.

9 – Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?

R9 – Desde os dez anos de idade escuto rock pesado. Tive certeza que ia montar uma banda quando ouvi Psalm 9 (1984), o primeiro disco do Trouble. A família já tinha dois músicos, então encararam com naturalidade.

10 – As músicas são os integrantes que as compõe? 

R10 – Da época do demo todos compunham juntos. As do EP foram feitas por mim e Elly.

11 – Qual o maior sucesso da banda?

R11 – Uma música que o público pede até hoje é “Flames of Deceit” 1992. Ela está tanto na nossa primeira demo ensaio, de 1992, quanto em The Fall (1993).

12 – Já teve alguma loucura de fã pra contar?

R12 – Em 1994 uma fã me mandou uma carta com uma foto nua junto com um tufo de cabelo. Disse que queria fazer sexo com a banda ouvindo a música “The Fall”.

13 – Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação a banda? 

R13 – Temos algumas metas: fazer turnê na Europa, lançar discos disco em selos de fora e continuar a fazer álbuns cada vez melhores.

14 – Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês?

R14 – Stay Doomed!

ENTREVISTA COM A BANDA RUINS OF ELYSIUM - O MELHOR DO ROCK, CONFIRA;


Ruins of Elysium é uma banda Epic Symphonic Metal que confia em elementos da música clássica, metal extremo, trilhas sonoras de filmes / videogames, j-rock e até mesmo letras de temas de cultura geek para trazer as músicas mais épicas e pesadas para a vida. RoE difere das outras bandas no estilo, não só pelas quase infinitas influências e tamanhos de sua música, mas pela voz operística do tenor clássico Drake Chrisdensen, sendo uma (se não a única) banda de metal sinfônico que depende exclusivamente de Voz masculina clássica, algo raramente feito no cenário. Juntando a grandeza de trilhas sonoras épicas, guitarras agressivas e tambores acelerados, todos abraçados pelos vocais de Drake, Ruins of Elysium, uma ótima experiência para os fãs de metal sinfônico.

Drake Chrisdensen - Tenor
Vincenzo Avallone - Guitars
Georgia Damigou - Orchestral Production
Filipe Câmara - Bass
Icaro Ravelo - Drums and Synths

CONFIRA EM LOCO A ENTREVISTA;

1-Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada? 
Drake: Primeiramente, obrigado pela oportunidade de conceder essa entrevista! 
Bom, o conceito da RuinsofElysium, que é de uma banda de metal extremamente épico cantado apenas por uma voz operística de tenor, era algo que eu tinha comigo a muito tempo. Depois de muito planejamento, apresentamos a banda em 2013 e lançamos nosso primeiro EP em 2014, que foi super bem recebido.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o inicio do grupo? 
Drake: Não, tivemos algumas mudanças. O primeiro EP foi gravado com músicos convidados, alguns seguiram caminhos diferentes depois, deixaram a música ou foram para outros estilos. ORavelo, nosso baterista e tecladista, por exemplo, entrou em outubro de 2016.

3-De onde vieram? 
Drake: Basicamente Brasil e Itália, no momento. Já tivemos integrantes da Holanda e Grécia. Meu sobrenome não me deixa mentir também, parte da minha família é norueguesa, então temos contato com várias nacionalidades dentro da banda. 

4-Conta um vexame que passou em algum show? 
Drake: uma vez, aconteceu um problema com o banco do nosso ex-baterista, meu grande amigo Marcelo França, e tivemos que pausar o show pra ele consertar. Eu comecei a fazer um verdadeiro stand-upcomedy pra distrair a plateia, descobri que tenho uma veia comediante haha.

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
Drake: O meio é bem cruel para artistas independentes. Principalmente no metal. PRINCIPALMENTE em um estilo de nicho como o Symphonic Metal. Eu acho que um dos problemas é a resistência do público em conhecer coisas novas. Muita banda excelente acaba tendo quase nenhuma visualização enquanto a galera ouve sempre as mesmas 5 bandas. Depois reclamam que o estilo está morrendo. Não está, está bem vivo, vocês é que não dão o devido valor a ele. 

6-Qual a canção da banda q mais gostam? 
Drake: Daphne
Ravelo: The GreatestJubilee

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante? 
Drake: não estamos fazendo shows agora porque estamos na parte mais complexa de produção do nosso novo álbum, SeedsOfChaosAndSerenity. O show mais marcante foi quando participamos do concurso Garagem Festival, feito pela Gafanhoto Produções em Belo Horizonte. Lotamos a casa de show e ganhamos o primeiro lugar disparado no concurso, tivemos quase três vezes mais votos que a segunda colocada. Foi muito legal ter recebido esse carinho e reconhecimento.

8-Quais as influencias da banda? Vídeo-games, trilhas sonoras, desenhos.
Drake: Eu sou apaixonado por videogames, então trazer essa paixão para uma banda em que eu sou o vocal e compositor foi algo natural. Séries como Bayonetta, Dragon Quest, Final Fantasy e The LegendOfZelda já inspiraram algumas de nossas canções, sejam na temática ou nas suas épicas trilhas sonoras.. A sinfonia SeedsOfChaosAndSerenity que dá nome ao nosso próximo álbum é toda baseada em SailorMoon. Além disso, causas sociais como combate ao machismo e à homofobia são também muito abordadas pela RuinsofElysium.

9-Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?
Ravelo: Comecei tocando em bandas marciais da escola, essas que desfilam na cidade, por volta de 2001. Durante muitos anos participei apenas das bandas das escolas e foi então, que decidi me especializar. Comecei tocando bateria na igreja, e depois comecei a estudar no conservatório da cidade onde eu morava, algum tempo depois comecei a tocar em bandas de rock, pop, metal e até em alguns bares.
Existem relatos familiares que desde pequeno, já ficava batucando nas panelas de casa, na cama, coisas assim.Passei a estudar piano e teclado onde queria referências de musica erudita e popular para acrescentar no metal. E automaticamente, comecei a pesquisar sobre orquestras e composições orquestrais para poder ter a minha própria banda. 
A minha família não tem uma forte ligação com o mundo da música, tenho uma tia que estudou teclado e outra estudou violino, e em conjunto com a minha avó e a minha irmã, são as únicas que me dão algum apoio.

10-As músicas são os integrantes que as compõe? 
Ravelo: Sim, todas, o Drake geralmente chega com as músicas prontas e meu trabalho é orquestra-las, até por quê quando entrei já estavam todas prontas haha, nos próximos álbuns terei uma participação maior nas composições.

11-Qual o maior sucesso da banda? 
Drake: O nosso EP Daphne teve reviews excelentes no mundo inteiro, então pode-se dizer que foi um sucesso. Em termos de música, creio que a The GreatestJubilee e nossa versão de Butterfly, tema de abertura de Digimon.

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
Drake: Sim, tive um “affair” com um fã uma vez mas melhor não entrar em detalhes haha.

13-Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação a banda? 
Ravelo: Poder juntar todos os integrantes no palco e tocar nossas músicas, pra mim é um dos principais sonhos que quero realizar pela banda.
Drake: Gravar um álbum com orquestra e coral. Tocarmos em grandes palcos e ter nossa arte conhecida mundialmente

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês?
Ravelo: Quero agradecer por todo o apoio que tem sido dado, é um retorno maravilhoso, e um sonho que está sendo realizado, e vocês são parte essencial disso. Obrigado, de verdade. Avante Sentinels!!
Drake: Ravelo disse tudo. Stayfierce, Sentinels. Obrigado pela força e que venha o SeedsOfChaosAnd Serenity.


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Cinza como a morte, Diplomatas, e Em fase: Bandas serao destaque no programa ‘’ O Melhor do Rock ‘’


As Bandas serão destaque na edição deste sábado 24/Dezembro de 2016 no programa de Rádio ‘’ O Melhor do Rock ‘’, da Rádio Nossa Voz FM de Duas Estradas-PB.

O programa começa as 19h00min horas deste sábado, e você pode nos acompanhar em diversos meios, através da Rádio Nossa Voz FM de Duas Estradas-PB onde os ouvintes residentes na cidade acompanham no Rádio na frequência 104.9 FM.

Para aqueles que estão em outras cidades pelo Brasil e Mundo é só acompanhar na internet nos blogs: nossavozfm.blogspot.com, blog extreme aggression, Folha de Duas Estradas, no site Guarabira News, blog O Nordestino, Blog Você DX, Blog Reck Berita, além de nos acompanhar no Rádios Net, Tunein: Rádio Nossa Voz FM. 

O ouvinte ainda pode nos acompanhar no site da Rádio Alternativa The Rockers. A Parti das 20h00min Horas entraremos em conexão com a Rádio Nova Bayeux Web, tanto no Tunein, Rádios, e também no site: novabayeuxweb.com. 

A apresentação do programa fica por conta de: João Paulo Ferreira.


Cinza como a morte

Cinza Como a Morte é uma "banda de um homem só", com sonoridade"Ghotic Rock" e muita influência do rock brasileiro dos anos 80 e bandas inglesas do mesmo período, compondo, gravando e produzindo música de forma independente.

As temáticas abordadas nas letras se alternam entre Ateísmo, filosofia, cultura anti-religiosa e questões sociais.

Cinza Como a Morte é pra todos que acreditam na música como meio de expressão.

Diplomatas – DPS

Diplomatas é um Power trio de Punk Rock do Rio de Janeiro onde todos os integrantes já participam ativamente de outros projetos. Com certeza esses caras não tem a menor pretensão de “mudar o mundo”, somente a diversão!!

A banda acaba de finalizar as gravações do seu primeiro disco “Anti Social”, que conta com a participação de Victor Leal no trompete. O disco foi produzido por Gringo Herrera, gravado, mixado e masterizado por Mr Ed no Estúdio GH.

Formação:
Fabio Gringo (8MM) Baixo e Vocal,
Vitor (Halé) Guitarra
Torres (Karga) na Bateria. 




 Em Fase


Formada em 2012, a Em Fase combina elementos de diversos estilos do chamado metal moderno para criar um som vigoroso, empolgante e ao mesmo tempo épico.

Júnior Sessi (Vocal e Guitarra)
Josué Neves (Baixo)
Thales Schwingel (Guitarra)
Josias Lautert (Bateria)












'' O MELHOR DO ROCK ''
J. Paulo Ferreira

Marenna: assista ao novo videoclipe, “Never Surrender”


Marenna lançou o primeiro vídeo para promover seu novo álbum, intitulado “No Regrets”. A música escolhida para o clipe é a “Never Surrender”, que pode ser conferido a seguir. A canção foi editado por Vladi B. Vargas, e produzido Jonas Godoy e Arthur Appel no Linha Sonora Studios. As imagens são de Marcelo Schmidt  da empresa The Tex Mex Studios.

Neste vídeo, Rodrigo Marenna conta com Arthur Appel (baixo / backing vocals), Aaron Alves (guitarra / backing vocals), Jonas Godoy (guitarra) e Gionathan Sandi (bateria).



No Regrets

A versão europeia do álbum será composta por 10 músicas inéditas e duas bônus tracks, e deve ser lançado até o início de 2017 pela gravadora dinamarquesa Lions Pride Music na Europa, Japão e EUA. “No Regrets” foi gravado entre agosto de 2015 e junho de 2016. O material sonoro está enraizado no clássico AOR dos anos oitenta, com um toque de Melodic Rock, fundindo as melhores características e sonoridade atual com muitas melodias de vozes e guitarras, abordando mensagens de otimismo e perseverança. Uma boa escolha para os amantes do estilo, que usa e abusa  de melodias de percepção fácil com um instrumental elaborado e produção adequada a altura do projeto.

A produção do álbum é dividida entre Jonas Godoy e Arthur Appel. Os arranjos, gravação, mixagem e masterização foram feitos por Jonas Godoy na Linha Sonora Estudio em Caxias do Sul (RS). O trabalho conta com a participação dos músicos Gionathan Sandi (Bateria), Arthur Appel (Bass e B. Vocais), Jonas Godoy (Guitarra, Baixo, Teclados e B. Vocais) e convidados especiais de Sasha Z., Andria e Ivan Busic (Fall In Love Again), Aaron Alves, Bruno Mello, Mauro Caldart, Fernando Mig e Rafael Netto. Guilherme Mello.

Acompanhe o Marenna e +:

Instagram: @marennaofficial

E-mail: rodrigomarenna@gmail.com

Agência: www.beelyper.com

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

NewBand anuncia a saída do baixista Gleysson Soares


O NewBand comunica aos fãs e amigos a saída do baixista Gleysson Soares. O músico assumiu o posto em janeiro de 2015 e encerra seu trabalho com o grupo neste mês. A banda emitiu a seguinte declaração:

“Ele foi convidado a ser integrante através do frontman Diego Guimarães e do guitarrista solo Gustavo Edny, ganhando visibilidade por ser um ótimo compositor, ter facilidade nas criações e por sua técnica particular com o instrumento. Sua estadia na banda conquistou o público que o acolheu e que provavelmente sentirá sua saída.

gleyverson

Informamos ainda que a razão não é de caráter particular ou ligada a problemas entre nós. Não houve desentendimentos ou demissão, apenas foi respeitada a decisão do próprio baixista de se desligar da banda. Todos nós continuamos parceiros e o vínculo criado está além de trabalho. Contudo, um novo integrante será escolhido com total responsabilidade, já que o NewBand honra a credibilidade dada por nossos fãs, assim como respeitamos o legado de nosso próprio trabalho que sempre visou a qualidade.

Agradecemos à compreensão de todos e deixamos aqui um forte abraço ao nosso não mais baixista, porém sempre parceiro, Gleysson Soares. Obrigado por ter feito parte desta família! Atenciosamente, A Banda”.

Diego Guimarães e Eduardo Silva no início de 2010, o NEW BAND é uma das novas promessas do Thrash Metal nacional, com um som agressivo que traz influências de vários nomes dos anos 1980. Gustavo Edny completa o grupo.

Com a demo de “Paraíba World”, em 2014, e o recente lançamento do single “Fire Falls Of The Sky”, vem ganhando espaço no território nacional e internacional representando o Metal do Nordeste. O grupo está em estúdio a cerca de um ano e pretende lançar seu álbum de estreia no primeiro semestre de 2017.

Confira o videoclipe do single “Fire Falls Of The Sky” a seguir:




Acompanhe a NEW BAND no Facebook:

Assessoria de Imprensa

SILVER MAMMOTH: confira agora o videoclipe da música “Sadness”


A banda paulista SILVER MAMMOTH confirmou o lançamento do último videoclipe do álbum "Mindlomania", para o single “Sadness”, no último dia 15 de dezembro (quinta-feira).
“Sadness” foi disponibilizado no canal oficial da banda no YouTube, seguido do lançamento em áudio digital do single, que contará com a distribuição para as principais lojas especializadas do mercado mundial.

Em paralelo, o SILVER MAMMOTH vem se consolidando como uma das maiores do Classic Rock brasileiro na atualidade, principalmente após o lançamento do seu terceiro álbum “Mindlomania”. Desta feita, o principal site de música independente do país, o Palco Mp3, concedeu o título de banda mais ouvida, na categoria Hard Rock, aos paulistas, com mais de 500.000 audições na referida plataforma.

Para mais informações sobre as atividades da banda SILVER MAMMOTH e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.



Com problemas de registro, tradicional banda alagoana muda o nome, mas mantém sua essência


Criar, manter e divulgar uma banda não é tarefa fácil, ainda mais se tratando de música pesada feita no Brasil, agora some a isso ter a responsabilidade de trabalhar no dia-a-dia para manter a si mesmo e a sua paixão, a banda, enfrentando desafios, dificuldades, nãos e pouco apoio.

Essa é a realidade de grande maioria das bandas brasileiras, não diferente disso os músicos da banda Alagoana Jäilbäit, se deparam com uma situação delicada, “a necessidade de trocar o nome do Grupo”, tudo isso pelo fato de uma banda com alguns anos a mais de carreira possuir o mesmo nome, situação discutida e que fez com que os músicos Zenitilde Neto (Vocais), Cleiton Alves (Bateria), Adailton Junior (Guitarra) e Wilson Santos (Baixo), decidirem que mesmo após quase quatro anos com esse nome, clipes lançados, álbum lançado e vários outros itens, era necessária a mudança de nome. Os direitos estavam reservados a outra banda que ostenta o mesmo nome.

Com isso o quarteto anuncia de forma oficial que, de agora em diante, a banda se chamará “Prison Bäit”, mantendo a sonoridade e a ideia do nome anterior e deixando claro que a única coisa que se altera é o nome da banda. O estilo, a pegada, as passagens motorheadianas continuam as mesmas e sem frescuragem!

A banda começa a trabalhar gradativamente as mudanças necessárias em suas plataformas de áudio, vídeo, redes sociais e imagens visuais, o material já lançado e com o antigo nome, será mantido como veio ao mundo e a partir de 2017, todo lançamento novo será ostentando o novo nome “Prison Bäit”.

Mais informações abaixo:



Fonte; Roadie Metal
J. Paulo Ferreira

Entrevista com o baterista Kiko da Banda Aneurose, confiram;


Com o objetivo de superar a excelente repercussão do disco “From Hell”, a Aneurose comemora 14 anos de história metendo o pé na porta com o lançamento do seu novo álbum, “Juggernaut”. Sem se limitar a rótulos ou pré-conceitos, a banda apresenta músicas que carregam a essência de cada músico que a integra, transmitindo toda energia e força do metal feito em Minas Gerais.

Após percorrer o Brasil com a “Tour From Hell”, o grupo reconhecido por seus shows explosivos, inicia agora a turnê de divulgação do novo CD, agendando datas por todo país, e em 2017 chega também à Europa.

O debut álbum “From Hell“ apresentou a Aneurose ao Brasil, mas Juggernaut” vem para consolidar a banda mineira no cenário do metal mundial.


1-Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
Kiko: A banda surgiu em meados de 2002, O Wallace havia se mudado recentemente para Lavras e estava tentando montar uma banda. O Deus do rock ajudou, neste dia encontrou com Sávio, e dois amigos dele. Eram uma banda em busca de um vocalista, fizeram o primeiro ensaio uma semana depois e foi animal! O resto é História. Resumindo, a banda foi formada em 2002 e surgiu com objetivo de relatar os anseios e preocupações da sociedade. E com o objetivo de superar a excelente repercussão do disco “FromHell”, a Aneurose comemora 14 anos,lançando seu novo álbum, “Juggernaut”. Sem se limitar a rótulos ou pré-conceitos, a banda apresenta músicas que carregam a essência de cada músico que a integra, transmitindo toda energia e força do metal feito em Minas Gerais.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o início do grupo?
Kiko: Não, Já entraram e saíram muitos integrantes e os únicos que estão desde o início são o Sávio e o Wallace.
Atualmente o lineup é formado por:

Wallace – Vocal
Sávio – Guitarra/backing
Raphael – Guitarra
Sthefano - Baixo/vocal/backing
E eu Kiko na batera

3-De onde vieram?
Kiko: Ué, de Lavras mesmo, em MG(Terra do Sepultura).

4-Conta um vexame que passou em algum show?
Kiko: Ah cara... com a Aneurose ainda não rolou nenhum não.Ainda bem.

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
Kiko: Cara. Banda é compromisso e atitude e a Aneurose tem uma meta de vivermos dela. Ainda estamos bem longe disso e a cada passo que damos, descobrimos um novo mundo de informações e atitudes que precisam ser repensadas, adaptadas e geridas. A gente tem que agradecer pois a cena no Brasil está forte demais e a troca de informação também. Muita banda nacional fazendo show de igual pra igual com banda gringa e muitas vezes até muito melhor. Mas o público ainda não entendeu muito bem que tem um papel importantíssimo nessa história. E muitas vezes o músico também não.  Todos querem mostrar o próprio trampo, o novo clipe, o novo lyric, o novo álbum. Mas ninguém quer ver o do outro. Parece querer apenas ficar fazendo massagem no umbigo. Porra. A cena tá ai pra gente se ajudar e fazer ela crescer. E claro que você tem que divulgar o seu som. Mas divulga o som do parceiro da cidade vizinha também, da banda do bairro ao lado. E de bandas que estão crescendo. Todos só tem a ganhar com isso.

6-Qual a canção da banda q mais gostam?
Kiko:Não tenho uma preferida não. Depende muito do dia. Eu sou muito eclético e escuto vários estilos musicais bem diferentes e tudo depende do meu humor diário. E ainda bem que essa versatilidade está no disco e posso, se eu quiser, escutar uma música mais cadenciada, mais porrada, ou até mesmo mais viagem, pois tem no disco, saca? Então assim. Não tenho uma mesmo não.

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante?
Kiko: Você trabalha com entrevistas de banda e sabe como funciona essas coisas. As vezes temos vários shows em um mês e as vezes ficamos meses sem tocar. Vai depender do foco da banda. Quando estamos compondo, não queremos sair para tocar tanto assim. E tem época que tudo que fazemos é tocar até acabar tudo.
Agora o mais marcante? Acho que sempre vai ser o próximo da banda. Todo show é aprendizado. E sempre nos apresentamos com 100% da nossa capacidade, injetada com nitroglicerina e uma pitada de álcool.

8-Quais as influências da banda?
Cara, a influência é pessoal de cada um. E cada um tem uma “escola” diferente. E a gente consegue juntar tudo isso no som que fazemos e pra mim isso é a mágica do negócio. O que rola quando tá todo mundo tocando junto no estúdio. Eu poderia dizer Charlie Brown Jr, Nirvana, Ramones, Sepultura, Soulfy, Cavaleira Conspiracy, SuicidalTendencies, SonicYouth, FooFighters, Disturbed, Meshuggah, Dream Theater, Kamelot, Claustrofobian, Vodoopriest,Furiainc, Hatefulmaaurder, e todas as bandas que estão fazendo a cena e dividindo palco com a gente ...

9-Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?
Kiko: A gente vive o dia a dia. Com o profissionalismo que estamos tentando alcançar, acaba que temos 2 empregos.  Um que paga as contas e a banda, que por enquanto, é só investimento. As nossas famílias nos respeitam muito e comemoram cada meta atingida, cada show e cada camisa vendida pois elas vem a nossa correria desde o começo. Cara, Artistas?  A gente não pensa nisso não. Só queremos fazer um bom show de cada vez e destruir cada palco por onde passarmos.

10-As músicas são os integrantes que as compõe?
Kiko: As composições são feitas por todos e todos damos palpites em todas as partes.

11-Qual o maior sucesso da banda?
Kiko: Acho isso meio pessoal. Cada um tem a sua preferida. Eu poderia até arriscar a dizer que são HuntingKnife (nosso primeiro clipe), Drunk as skunk (nosso primeiro Drunken clipe) ou Butcher (nosso primeiro Lyric) mas achoque estaria sendo injusto com todas as outras músicas como Drink Like a man, ou DeatlhyColdChill,

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
Kiko: Teve uma vez que uma menina reconheceu a gente no meio da multidão em um show no interior de MG. Ela pediu pra batera uma foto com a gente e quando chegou perto e abraçou o vocalista pra bater a foto, desabou em choro. Pra ela aquilo foi um momento mágico, saca? E esse retorno é legal porque percebe que agente consegue mudar o mundo, uma pessoa de cada vez.

13-Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação a banda?
Kiko: Tocar nos maiores festivais do mundo seria a metal atual da banda.

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês?
Kiko: Só agradecer cada um que tem dado o suporte pra banda, indo aos shows, comprando nosso CD ou camiseta. E principalmente, bangeando até o show acabar. Logo logo nos vemos num show perto de você. Valeu.


J. Paulo Ferreira



ENTREVISTA COM A BANDA RISING – ‘’ HEAVY METAL‘’, CONFIRAM;


Entrando 2016, numa decisão ousada mas necessária, mesmo porque a fruição do trabalho, de forma natural, determinou; a RISING decidiu direcionar sua sonoridade para o mais puro Heavy Metal tradicional, com novas músicas tendo essa sonoridade. Por motivos profissionais, Angelo Conceição retornou a Goiás. Em seu lugar entrou Carlos Kippes e o puro e verdadeiro Heavy Metal começou a ser trabalhado juntamente com Jean Praelli na bateria e Rodolfo Liberato no baixo.

Agradecemos a atenção, e esperamos que acompanhem os progressos da banda!

FORÇA E HONRA AO UNDERGROUND NACIONAL!

1-Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
RESP: A banda surgiu em meados de 2013, em Itaí, interior de São Paulo. Nós tocamos, simplesmente, Heavy Metal, com H e M maiúsculos! Hoje ela está situada totalmente na capital, e desde então estamos batalhando com nosso material autoral.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o inicio do grupo?
RESP: Não. À principio, músicos de Itaí mesmo iriam participar. Porém, no momento em que eu levei o projeto da banda em São Paulo, contatei outros músicos. Mas de todos os contatados de inicio, tivemos trocas de integrantes apenas na guitarra e na bateria.

3-De onde vieram?
RESP: Eu sou de Piracicaba/SP. O Rodolfo Liberato (baixista) e o Carlos Kippes (guitarrista) são de São Paulo mesmo, e o nosso vocalista, Riq Therrys, é carioca. Estamos trabalhando com baterista de estúdio por enquanto.

4-Conta um vexame que passou em algum show?
RESP: Não foi necessariamente com a Rising, mas sim com minha banda anterior. Eu era baixista. No meio da apresentação a alça do baixo se soltou, e eu tive que tocar uma música inteira com o baixo na coxa e o pé num degrau que havia no palco. Esse foi um dos motivos pelo qual voltei a tocar teclados! (Risos)

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
RESP: Dificuldades sempre existem no mundo underground, mas em relação à Rising, tudo tem fluido muito naturalmente. Estamos no nosso ritmo, sem pressões, trabalhando com tranquilidade em nossas musicas, e começaremos a tocar depois de lançado nosso EP. Por isso, em relação à Rising, não tivemos nenhuma dificuldade tão grande a enfrentar.

6-Qual a canção da banda q mais gosta?
RESP: Eu particularmente gosto de uma chamada Into the Dark, que sairá no EP. Mas é difícil apontar uma apenas, em questão de músicas próprias. Cada qual é importante à sua maneira, e gosto de cada qual de formas diferentes.

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante?
RESP: Então, a Rising começará a tocar mesmo após o lançamento do EP. Mas cada membro tem uma extensa carreira em bandas anteriores ou paralelas, e cada qual tem suas histórias de apresentações ao vivo. Ano que vem já estaremos nos apresentando como Rising, e ai o bicho vai pegar! (Risos)

8-Quais as influencias da banda?
RESP: Heavy Metal, cara! NWOBHM no sangue! Simplesmente Heavy Metal. Judas, Iron, Manowar, Dio, enfim... Heavy oitentista!

9-Como a família reagiu ao saber que escolheu estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriu artistas?

RESP: Minha família me apoia bem com relação aos meus projetos autorais, inclusive minha esposa. Acho que não descobrimos que somos músicos, é antes um chamado poderoso e imperativo: Temos que fazer Metal! A música grita lá dentro, quer sair pelos poros e não adianta fugir, você tem que criá-la! (Risos)

10-As músicas são os integrantes que as compõe?
RESP: Sim, nós mesmos! Neste EP à uma preponderância de ideias da dupla Carlos e Riq, com exceção da musica Hexencraft, que tem uma história anterior à banda Rising, tendo sido composta por mim para a outra banda que fiz parte antes. Com exceção desta mesma, todas as letras são do Riq e a gravação de guitarras, bem como mixagem e masterização, estão sendo realizados pelo Rodolfo! Mas as ideias são livres, pensamos em comum!

11-Qual o maior sucesso da banda?
RESP: No momento, temos a single "Road of Metal" lançada, que fechará nosso EP. Ela tem sido a faixa mais divulgada até agora!

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
RESP: Até o presente não fui alvo de nenhuma loucura, não! (Risos)

13-Qual sonho você ainda pretende realizar em relação a banda?
RESP: Falando por mim, acho que tocar no velho continente, numa tour europeia, seria muito foda! Esse é meu sonho que pretendo sim realizar, sem parecer "orgulhoso" demais. Longe disso! Acredito muito no potencial dessa banda!

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de voces?
RESP: A todos vocês, brothers and sisters, o que desejo é agradecer pelo apoio que estão nos dando! A luta no underground não é fácil, é cheia de indas e vindas, mas estamos perseverando firmes e fortes justamente porque queremos levar até vocês o melhor que pudermos em Heavy Metal! Continuem nos acompanhando em 2017 pois teremos muitas novidades! Nos veremos em breve!!!


J. Paulo Ferreira

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Vulcano: Confira agora capa e tracklist do novo álbum “XIV”

 Finalmente! O novo álbum do VULCANO está pronto, intitulado de “XIV” o full lenght estará disponível nas lojas e vendas online a partir do dia 31 de janeiro de 2017.
“‘XIV’ promete ser um álbum mantenedor da originalidade irrefutável do VULCANO, bem como proporcionar aos fãs a sonoridade díspar de que a banda sempre foi detentora, desde seus primórdios, porém longe do saudosismo. Esta produção abandona as afinações baixas utilizadas nos dois últimos álbuns retomando os timbres verdadeiramente originais em que guitarras soam como guitarras e bateria como bateria. A capa tem o formato ‘Digipack’ com uma concepção bastante simples, como deve ser toda embalagem que acomoda uma joia ou uma relíquia. Possui apenas informações suficientes que interessam ao ouvinte a as letras que tem a mesma importância que a música. O tema abordado neste álbum é a aliança unilateral de um Deus para com seu povo escolhido onde a fidelidade e a fé é raivosamente cobrada com maldições, destruição, sacrifícios de sangue e cruéis castigos, Um Deus vingativo e cruel que reina através do medo. Também em uma e outra canção, o tema permeia o êxtase da alma de um verdadeiro ‘headbanger’ para com sua natureza intrínseca na exaltação ao Metal, puro e honesto.” - Completa Zhema Rodero (guitarrista e fundador da banda)
 Mais um álbum lançado pelo selo “Renegados Records Brazil”, licenciado para a Vingança Music com distribuição pela "Voice Music" e "Sangue Frio Records". Confira agora a capa e tracklist do novo álbum “XIV”:
Tracklist:
01 – Propaganda and Terror
02 – Thunder Metal
03 – The Tides of Melted Metal
04 – Necrophagy
05 – Behind The Curtains
06 – Thou Shalt Not Kill
07 – Paradise On Holocaust
08 – The Face Of The Abyss
09 – To Kill Or Die I’m Back Again
 Em entrevista ao programa “Rádio Oz Rock”, Zhema Rodero divulgou detalhes do vindouro álbum, além de disponibilizá-lo na íntegra para audição. Confira: https://www.mixcloud.com/RADIO_OZ/radio-oz-rock-apresenta-o-novo-trabalho-da-banda-vulcano-14-entrevista-com-zhema-rodero-e-%C3%A1lbum/
 Em breve a banda VULCANO, junto à Sangue Frio Produções disponibilizará o “premiere” do novo full length para resenhas, via e-mail. Imprensas interessadas entrar em contato pelo seguinte endereço: contato@sanguefrioproducoes.com.
Contato para shows e assessoria: http://www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:

Entrevista: Malkuth - Black Metal - Recife/PE


Extreme Aggression: Primeiramente, agradeço pela entrevista. Já são mais de 20 (vinte) anos de carreira e a evolução do MALKUTH é algo extraordinário. Como você analisa toda esta trajetória desde o seu primeiro CD ORGIES IN THE TEMPLE OF CHRIST (BASTARD SON) - 1994 até o mais recente trabalho de estúdio CD EXTREME BIZARRE SEDUCTION (relançamento) – 2016?

Sir Ashtaroth:
Saudações! É uma trajetória repleta de batalhas, na qual participamos de muitos shows ‘undergrounds’ excelentes, tanto locais como fora do nosso estado, além de termos feito amizades com muitos headbangers a nível nacional. Também passamos por diversas formações e fizemos 6 lançamentos oficiais em CD.

Extreme Aggression: Recentemente surgiu a ideia do Live “NOITE DE NECROMANCIA”? E como foi a gravação desse show?

Sir Ashtaroth: Sim, foi um lançamento feito pela Arena Metal (PE) com 100 cópias em formato CD-R profissional. A gravação foi feita ao vivo em um show realizado em Outubro de 2014 num tradicional festival local intitulado “Pré-Helloween”, no Cabo de Santo Agostinho/PE. Sempre quisemos ter um registro comemorativo em áudio oficial de um show ao vivo nosso e então surgiram a oportunidade e a ideia.

Extreme Aggression: Existe alguma música favorita entre vocês ou alguma em que vocês notam que o público se empolga mais quando tocam ao vivo?

Sir Ashtaroth: Particularmente, acho isto bem relativo por que alguns gostam mais das nossas faixas mais antigas, enquanto outros curtem mais as da fase atual.

Extreme Aggression: Como avaliam o cenário para as bandas de Black Metal nacional nesse momento? Há mais espaço para divulgação e realização de shows ou não houve nenhuma mudança substancial nesse sentido?

Sir Ashtaroth: Temos excelentes bandas nacionais de Black Metal, que na maioria das vezes não ficam para trás das bandas gringas, muito profissionais e com sons de qualidade! Quanto aos espaços para divulgação vejo crescer substancialmente, porém isto não vem acontecendo quanto aos espaços para shows, cada vez mais difíceis e caros.

Extreme Aggression: A banda pretende ingressar em uma turnê na Europa em breve?

Sir Ashtaroth: É um projeto para o futuro, visto que para isto tem de se ter todo um planejamento e logística bem executados.

Extreme Aggression: Vocês poderiam descrever algumas influências da banda?

Sir Ashtaroth: É uma pergunta um tanto difícil de responder, visto que cada membro atual possui seu gosto particular pela música obscura. Creio que o resultado final de cada opus é essencialmente um reflexo de cada gosto particular de cada membro. Nota-se muito a “pegada” do Metal grego, alemão e nórdico em nossas músicas.

Extreme Aggression: E o que vocês ouvem quando tem algum tempo disponível, seja na estrada ou em momento de descanso. Alguma sugestão que você acha interessante no mercado atualmente?

Sir Ashtaroth: Eu costumo buscar e ouvir muitas bandas de Depressive, Atmospheric e Raw Black Metal e algumas de Death Metal mais desconhecidas da cena underground. Gosto de selecionar e buscar o novo e desconhecido neste meio. São muitas as bandas dos confins do mundo, ficando difícil citá-las uma a uma.

Extreme Aggression: O MALKUTH comemora mais de 20 (vinte) anos de uma carreira notável. Quais são seus maiores objetivos daqui para frente, talvez algo que ainda não alcançaram após todo esse tempo?

Sir Ashtaroth: Obrigado pelas palavras. Nossos objetivos hoje são espalhar a nossa ideologia musical pelos quatro cantos do mundo e gravar e lançar o nosso material novo em breve.

Extreme Aggression: Contem-nos um pouco mais do que a banda prepara para um futuro próximo?

Sir Ashtaroth: Estamos lapidando músicas novas e em breve entraremos em estúdio para gravarmos, mixarmos e masterizarmos o que será o nosso sétimo álbum oficial de estúdio.

Extreme Aggression: Agradeço pela oportunidade. Deixe um recado para os fãs da banda e para os nossos seguidores. Abraços e sucesso sempre!

Sir Ashtaroth: Nós é quem agradecemos pelo espaço e oportunidade! Mantenham sempre a chama do Metal Obscuro e Underground acesa! Up the fire!
Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:

https://www.facebook.com/MalkuthOfficial/
http://sanguefrioproducoes.com/artistas/Malkuth/38

Rising: banda divulga capa e track lista do EP "We Shall Rise"


Enquanto algumas bandas investem pesado nas influências modernas e mais atuais, outras focam seu tempo no resgate da sonoridade de outrora, mesclando Heavy, Hard e Progressivo, esse é o caso dos paulistanos da banda “Rising” que acabam de divulgar a capa e track lista de seu primeiro EP “We Shall Rise”.

O EP será lançado de forma física e digital em Janeiro de 2017 e recentemente a música “Road Of Metal”, Foi disponibilizada para audição nas principais redes sociais da banda e também na coletânea Roadie Metal Vol. 8.

Formada por músicos conceituados a banda hoje conta com os músicos Riq Terrys (Vocal), Carlos Kippes (Guitarra), Rodolfo Liberato (Baixo) e Zelão Baal (Teclado), tendo as baterias sido gravadas por músicos de estúdio.

O tecladista da banda Zelão Baal revelou o sentimento de estar próximo ao lançamento do EP: “Mais um passo da banda em direção a um novo momento nosso” afirmou o músico, que completa “O EP será nossa amostra do que podemos realizar como banda”.

Track Lista de “We Shall Rise”
1.       Embrace the Thunder
2.       Hexencraft
3.       Into the Dark
4.       On the Run
5.       Road of Metal

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/risingrock/?fref=ts 


Fonte: Roadie Metal
J. Paulo Ferreira